sábado, 7 de julho de 2012

Garota estranha.

Essa garota estranha.
Ela não quer se curar.
Vive da escuridão.
Que está sempre em si a habitar.
Essa garota estranha.
Sempre olhando ao chão.
Deixando suas lágrimas caírem.
E diz não ter coração.
Essa garota estranha.
Sempre sofrendo de dor.
De poucas palavras melancólicas.
Não tem medo da face do horror.
Essa garota estranha.
Se esquiva dos sorrisos alheios.
Se mantém as lágrimas internas.
Tenta não libertar teus devaneios.
Garota estranha.
Não consegue sorrir.
Não consegue amar.
Desorientada, mal sabe como seguir.
Talvez não tão estranha.
Talvez, apenas confusa.
Pobre garota perdida.
Tem a vida e não sabe como se usa.
Um pouco estranha.
Sua voz parece sangrar.
Calada e quieta.
Em silêncio, costuma se quebrar.
Não é tão estranha.
Ainda é bonita do jeito que é.
Espalhando suas dores por aí.
Como todo mundo a quer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário